Mergulhando em Bodoquena (MS)

Final de semana marcado por muito trabalho aqui em Bodoquena (MS). Estava ansioso para finalmente começar a mergulhar com cilindros nessas águas cristalinas da região e descobrir o que essa Serra nos reserva no ambiente subaquático. Depois de muito planejamento e contatos, o dia finalmente chegou.

 

Nesses mais de 40 dias de campo no Mato Grosso do Sul, essa foi a atividade mais exaustiva que fizemos até agora. Foram 12 horas de operação no total.  Acordamos às 3h da manhã e seguimos rapidamente com destino ao Poção do Córrego Azul, no interior do Parque Nacional da Serra da Bodoquena, gerenciada pelo ICMBio. Mas não foi tarefa fácil chegar até lá.

 Nosso Lobo Guará a caminho do poção do Córrego Azul - Foto Erika Campos

Mais de 4h de caminhada (ida e volta) com cilindros e equipamentos nas costas. Foto: Érika Campos 

 

Entendam que isso aqui é uma Serra e morro tem em todos os lugares. Terrenos muito sinuosos e difíceis de transponir com bastante barro. Trabalho pra Toyota Bandeirante Lobo Guará e pra nossas pernas também. Foram quatro horas de caminhada no total (ida e volta) com os cilindros nas costas mais equipamentos. Já deu pra imaginar a pressão?

 

Tivemos que parar em alguns momentos, porque realmente foi muito árduo para toda a equipe.  Mas como eu digo a todos os meus alunos: o importante é o êxito... sempre. Se você se propõe a fazer alguma coisa, vai lá e faz.

Essa foi a atividade mais exastiva nesses primeiros 40 dias de expedição. Fotos: Erika Campos 

 

Ao chegar no poção do Córrego Azul e fazer todos os procedimentos e checagens de segurança, finalmente começamos o mergulho. Ficamos duas horas submersos e conseguimos descer a 26 metros de profundidade. Essa profundidade é bem significativa quando se trata de água doce. Conseguimos localizar algumas fendas mas a visibilidade infelizmente não estava a nosso favor. O volume de chuvas que tem caído nos últimos dias deixou muita suspensão na água e a coloração estava turva.  Incomum pra uma região onde as águas são tão cristalinas.

Apoio do 1o Subagrupamento do Corpo de Bombeiros Militar de Aquidauana. Foto: Erika Campos 

 

Reclamar da chuva? Não posso.  No meu trabalho quem manda é a mãe natureza e é ela quem sabe de tudo. Mas também não posso desistir e já estou planejando realizar essa operação mais adiante. Quer mostrar o azul verdadeiro desse poção de águas cristalinas  que na maior parte do ano tem uma visibilidade de encantar qualquer mergulhador. Quem sabe não encontramos até uma caverna? Não vou desistir de você Córrego Azul.

 

Imprevisto é previsto e vamos em frente. A semana que chega nos reserva ainda muito trabalho e ainda mais surpresas. Não deixem de nos acompanhar. 

 

Agradecimentos

Gostaria de agradecer imensamente o apoio do ICMBio, do Cabo Luziano Lopes que comandou a operação, também ao Cabo Cleber Louveira e todo o comando do 1º Subgrupamento do Corpo de Bombeiros de Aquidauana.  Agradecimentos também ao Edson Silva e Gerson Canhete da RPPN Cara da Onça,  ao Diogo Gonçalves, além é claro da dona Edir do Hotel Flórida e da minha assistente Erika Campos. 

 

Sobre

A Expedição #100dias de Selva com o documentarista de natureza, Fernando Lara,  tem o apoio de botas Snake, Jornal Diário do Aço, TV Cultura Vale do Aço e O Giro.

 

LEIA MAIS:

Curso: Carnaval na Selva

- Curso: Expedição Pantanal Sul - janeiro 2016

- Medo é morte em vida - Por Fernando Lara

- Todo esforço será recompensado - Por Erika Campos

- Conheça Cachoeira do Urubu Rei 

- Batizando a Cachoeira das Fadas - vídeo

 

 

 

Please reload

Chegou o projeto V-ONÇA: ecoturismo de observação focado em onças-pintadas no Pantanal

June 6, 2017

1/8
Please reload

Please reload

  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

© Todos os direitos reservados

cadastur-logo.png