10 procedimentos de segurança para trabalhos em campo

A segurança é um fator essencial para qualquer trabalho. Mas ao contrário de outras atividades, nem sempre podemos contar com os recursos disponíveis na cidade. Por isso, separamos dez procedimentos usados pelo documentarista de natureza, Fernando Lara, que podem ajudar você a prevenir acidentes e imprevistos. 

 

01 - Use EPI

Os equipamentos de proteção individual (EPIs) são itens essenciais para uma atividade em campo. Evitam acidentes e protegem de alguns desconfortos. Alguns dos mais importantes são: perneira (proteção para picadas de serpentes), botas e vestimentas apropriadas para atividade, protetor solar, chapéu, repelente, etc. Faça uma lista dos itens antes de sair. Alguns equipamentos como lanterna, faca, cordas, objetos de navegação também são extremamente necessários.

 

02 - Nunca ande sozinho

Não seja teimoso! Sair da companhia do grupo é um grande risco. Qualquer distração e pronto…. o restante do grupo se deslocou e  você estará perdido. Se a sua saída for imprescindível, para ir ao ‘banheiro’, por exemplo, avise o chefe da sua equipe e leve mais uma pessoa com você.

 

Curso de Documentação e Comportamento em Selva - Clique e saiba mais

03 - Evite pisoteio desnecessário

 

Se o local já possui trilha demarcada, evite pisar fora dela. Esse procedimento evita que você encontre armadilhas naturais, como buracos de tatu, por exemplo. Caminhos marcados também ajudam muito na hora da navegação e o pisoteio desnecessário pode prejudicar ou confundir as equipes que andem no local depois de você. Trilhas também aumentam o impacto da sua atividade na fauna e flora local. 

 

04 - Silencio na Floresta! 

 

Trabalhos em áreas de floresta ou em outros ambientes naturais exigem respeito com os riscos envolvidos nessas atividades. A sua presença nunca passa despercebida, por isso, evite fazer barulhos desnecessários. Fique atento a rastros cheiros e barulhos como os de colmeias de abelhas. Um minuto de distração pode prejudicar toda sua equipe. Respeite o ambiente!  

 

05 - Saia com um mateiro

Mesmo que você tenha mapas, bússola e um GPS, nada substitui a experiência e o conhecimento de um bom mateiro ou guia local. Contratar alguém que conhece bem a área diminui os riscos de você se perder além de evitar atrasos em seu trabalho em campo.

 

06 - Esteja autorizado

Entrar em unidades de conservação e áreas preservadas para fazer atividades de campo exige autorização prévia de órgãos governamentais. Se o trabalho for em terreno particular, converse com o proprietário anteriormente. Isso evita desentendimentos e problemas com a polícia.

 

07 - Respeite a população local

Contar com o apoio das comunidades locais é uma ótima opção para a atividade de campo. Eles têm muitas informações sobre a área e podem ajudar você em caso de necessidade. Por isso, tenha sempre uma postura correta e respeitosa com todos da região. Usar uma linguagem simples, deixando o vocabulário técnico de lado, também ajuda na comunicação.

 

08 - Faça um bom planejamento

Preveja com antecedência a quantidade de dias necessários para sua atividade, quantas pessoas serão necessárias e a quantidade de suprimentos e água para você e sua equipe. Não saia sem antes ver a previsão do tempo e converse sempre com pessoas que conheçam o local. Planeje uma rota de forma eficiente e tenha um plano ‘b’ em caso de emergência.  

 

09 - Use a comunicação

Quase sempre as atividades de campo são realizadas em ambientes onde não há sinal de celular. Para substituí-lo você pode usar rádios comunicadores ou telefone satelital. Deixe sempre alguém na base informado sobre a sua movimentação e orientado a procurar as equipes de socorro em caso de emergência.

 

10 - Opte sempre pelo mais seguro

O cansaço, o desconforto e a preguiça são os maiores vilões de uma atividade em campo. Não deixe que seu ambiente de trabalho seja contaminado por esses três sentimentos, eles podem matar você ou alguém da sua equipe. Mesmo que um procedimento exija um pouco mais de tempo, opte sempre pelo mais seguro.

 

LEIA MAIS:

- Expedição Pantanal Norte - julho 2017 

- Medo é morte em vida - Por Fernando Lara

- Como nasce um Expedicionário - Por Edlayne de Paula 

- Caverna do Labirinto em Bodoquena (MS) - Por Fernando Lara

- Gruta do Urubu Rei - Bodoquena (MS)

 

 

Please reload

Chegou o projeto V-ONÇA: ecoturismo de observação focado em onças-pintadas no Pantanal

June 6, 2017

1/8
Please reload

Please reload

  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

© Todos os direitos reservados

cadastur-logo.png