Malária em ambientes hostis – como evitar

10/08/2016

Na sua última transmissão AO VIVO, o documentarista de natureza, Fernando Lara, informou ao público o diagnóstico de malária confirmado em um hospital em Cusco, no Peru. O Expedicionário, que se encontra atualmente no Chile, foi medicado e liberado pela equipe médica para continuar sua jornada em tratamento com a medicação receitada. Fernando está bem, sentindo ainda alguns sintomas da doença, mas trabalhando normalmente.  

 

Não há como definir o local exato da contaminação, uma vez a Expedição percorreu por muito tempo a região da Floresta Amazônica, área de endemia da doença, e o Pantanal do Mato Grosso. Essa é a segunda vez que o documentarista de natureza é tratado de malária. A equipe que acompanhava Fernando Lara não apresentou nenhum sintoma da doença até o presente momento.

 

Veja algumas recomendações para evitar a malária:

 

O que é:

A malária é uma doença transmitida pela picada de mosquitos do gênero Anopheles infectados com o Plasmodium. No Brasil, há três espécies associadas à malária em seres humanos com ocorrência no Brasil: P. vivax, P. falciparum e P. malariae.

 

Entre os sintomas estão: febre, calafrios, sudorese, fraqueza e cefaleia, que ocorrem em padrões cíclicos, como se fosse uma crise, geralmente no final do dia. Em alguns aparecem também náuseas, vômitos, astenia, fadiga, anorexia.

 

Como evitar:

Estar protegido com calças, blusas de manga longa e chapéu com mosquiteiro ajudam a evitar as picadas do mosquito. No entanto, as picadas podem transpassar o tecido mesmo que vocês esteja todo coberto. É aí que entra o repelente, que aumenta a proteção do corpo, devendo ser usado obrigatoriamente nas partes onde a pele está exposta também sobre  nas roupas em forma de borrifadas.

 

Mas nem todas as marcas de repelentes são eficientes.

 

O Ministério da Saúde recomenda uso de repelentes com DEET (N-N-dietilmetatoluamida) ou de icaridina. Procure as opções que possuem maior concentração, pois em ambientes que proporcionam grande transpiração,  a quantidade dessa substância ajuda bastante na eficiência do produto. Para os nossos alunos recomendamos a marca Exposis. 

 

Atenção: Repelentes caseiros a base de álcool, óleo mineral, cravo, entre outros não possuem nenhuma eficácia quando o assunto é atividades em ambientes hostis, além de não serem recomendados pela ANVISA.

 

Não há vacinas para maláriaAs regiões do Brasil onde há incidência de malária são: Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins.

 

Sintomas

Se você esteve em qualquer uma das regiões do Brasil citadas acima e está sentindo os sintomas da malária procure atendimento médico imediatamente e fale sobre a suspeita. O teste é rápido e o tratamento é gratuito em todo o Brasil.

 

A malária é considerada uma doença controlada, com número de casos e óbitos muito menores do que a dengue por exemplo. Enquanto o Ministério da Saúde registrou em 2015, cerca de 146 mil casos e 26 óbitos de malária, no mesmo período os casos prováveis de dengue contabilizaram 1,6 milhão de contaminados e 863 mortes.

 

Leia também: Dez procedimentos de segurança para trabalho em campo

Please reload

Chegou o projeto V-ONÇA: ecoturismo de observação focado em onças-pintadas no Pantanal

June 6, 2017

1/8
Please reload

Please reload

  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

© Todos os direitos reservados

cadastur-logo.png